Imóvel a Rua Heitor Penteado, 1172



 

As primeiras vias de acesso e  circulação existentes nos núcleos de Sousas e de Joaquim Egídio, no início de seu povoamento, constituíam-se de "caminhos" que eram utilizados como ligação com as fazendas ou engenhos e, depois, com o centro de Campinas.
Estas vias de acesso surgem, basicamente, em decorrência dos ciclos econômicos, pela necessidade de escoamento da produção agrícola açucareira e, depois cafeeira, aos grandes centros. 
Pode-se dizer que vários "caminhos do açúcar"  remanescem como ruas ou estradas.
Os referidos Distritos compõem-se de uma população de mais de 22.000 habitantes sendo 17.000 em Sousas e 5.000 em Joaquim Egídio, onde 40% da população se estabeleceu na área urbana e, os outros 60% , na área rural.
Os núcleos encontram-se densamente urbanizados especialmente às margens do Rio Atibaia e do Ribeirão das Cabras. A atividade econômica principal baseia-se na produção agropecuária, onde ainda são largamente desenvolvidos os cultivos de café e culturas de subsistência, a criação de gado, e a piscicultura. 
O relevo acidentado e a vocação rural fizeram com que a ocupação do solo e a expansão urbana fossem mais difíceis e lentas. Isso fez a cultura local  diferenciada ao restante do Município de Campinas, mantendo-se uma população de descendentes de italianos, de escravos das antigas fazendas de café, e migrantes mineiros e paranaenses.

(Ref.: Secretaria de Cultura/PMC)
Processo Nº 02/03

Local:
Rua Heitor Penteado, 1172 - Joaquim Egídio - Campinas

Telefone:
3298-6062
Categorias
Patrimônio Histórico