Subprefeitura Do Distrito De Sousas



 

O prédio da Subprefeitura de Sousas foi construído conforme Resolução nº 406, de 14 de setembro de 1912, assinada pelo então Prefeito de Campinas, Dr. Heitor Penteado, sendo inaugurado por volta de 1914. Construída em tijolo de barro, possui vários elementos de composição de sua arquitetura em ferro, vidro e madeira, representativos do ciclo econômico cafeeiro e da imigração italiana, que foram os primeiros a utilizar tijolo de barro nas construções, contribuindo muito para a intensificação da industrialização. Sua implantação em ângulo de 30º com relação ao alinhamento da rua, com recuo frontal bastante significativo, possibilitando assim, maior visibilidade de sua construção. Originalmente as janelas tinham um desenho bastante elaborado em vidro e madeira, emolduradas por frisos de ornamentação com detalhes que se remetem àqueles ainda existentes na platibanda do prédio. O prédio mantém suas características arquitetônicas parcialmente preservadas, e o uso do imóvel tem se mantido o mesmo desde sua construção. O edifício foi tombado pelo CONDEPACC em 08/05/2003, processo Nº 01/03. 
São 13 imóveis Institucionais e Públicos de Sousas e Joaquim Egídio tombados neste processo, compreendendo:

Sub-Prefeitura de Sousas; 
Igreja de São Sebastião;
Coreto da Praça São Sebastião;
Casa de Cultura e Cidadania Antônio da Costa Santos;
Ponte Ademar de Barros; 
Monumento ao Imigrante;
Igreja de Santana e Casa Paroquial; 
Hospital Cândido Ferreira;
Capela de Santa Cruz;
Posto Policial;
Casa do Cardeal Dom Agnello Rossi;
Capela de São Joaquim e São Roque;
Ponte Padre Abel.

"A preservação dos conjuntos urbanos destes Distritos visa, basicamente, o reconhecimento formal e legal pela comunidade do "valor cultural e ambiental", preservando-se, dessa forma, sua significação enquanto registro remanescente arquitetônico urbano e rural, paisagístico, estético, tecnológico, afetivo e histórico. Joaquim Egídio e Sousas compõem uma região de extrema importância com relação à formação da cidade de Campinas, em função da conformação de sua estrutura fundiária e a contextualização desta nos principais ciclos econômicos de intensa atividade, como o do açúcar e do café. Para tanto, foram feitos estudos das várias etapas de ocupação dos Distritos, as quais foram delimitadas em períodos distintos, estabelecendo-se manchas de evoluções do traçado urbano."
(Ref.: Secretaria de Cultura/PMC)

Local:
Rua Maneco Rosa, 32 - Sousas

Telefone:
3258-2472
Categorias
Utilidade Pública